Palestra pública da FEP neste sábado, 15 de fevereiro de 2020.

Tendo como principal objetivo explicar a Justiça de Deus à luz da Doutrina Espírita, o livro “O Céu e o Inferno” (1865) é a base do diálogo deste sábado na palestra pública da FEP. A quarta obra da Codificação é retirada da quarta parte de O Livro dos Espíritos.

Auditório Lírio Ferreira.
.
.
.
#Fep
#FepPernambuco
#MovimentoEspirita
#Espiritismo
#DoutrinaEspirita
#PalestraEspirita
#LivroCeuInferno

2 comentários em “Palestra pública da FEP neste sábado, 15 de fevereiro de 2020.

  • sábado, 18/01/2020 em 15:55
    Permalink

    Boa tarde!
    Hoje fui à palestra da manhã, como com frequência vou aos sábados, mas não fiquei. Questionei a dois trabalhadores da Casa sobre o critério da seleção dos palestrantes e quem a faz, pois acredito que Ângela Souza não está capacitada para tal função. Senti que pelo fato de interrogar sobre isso, a quem me reportei, que o erro estava em mim! Porque seria, para mim, uma oportunidade para exercitar a tolerância, paciência, enfim, saí triste da federação.
    Na vida queremos sempre o melhor! Estudarmos em boas escolas, universidades, cursos, investimos na qualificação, porque o estudo faz parte da especialidade cada ser humano.
    A Federação Espírita Pernambucana é a Casa Mãe. É a referência para todos os outros centros. Quem ouve Sônia Arruda, Dinah, Otávio Pereira, só para citar e outros que vêm de fora como Nane Mendonça, Frederico Menezes, Leonardo Machado, não quer regredir.
    Humildade para saber que não está preparado, não é para todos! O critério não deve ser apenas pelo fato de ser trabalhador da casa, amigo, etc, mas sim da capacitação. Para passar em um concurso tem que estudar muito, assumir um cargo em determinada empresa tem que se enquadrar nas suas exigências e por aí vai! Dicção, bom português, conhecimento são condições primárias para a oratória! Sugiro que a federação deva ter um plano B para situações, caso não tenha um orador a altura, um bom filme seria enriquecedor!
    Muita Paz!

    Resposta
    • sábado, 18/01/2020 em 23:56
      Permalink

      Bom dia Simone

      Vamos tentar responder seus questionamentos:
      1 – Quem seleciona os palestrantes?
      Resposta: Um grupo, uma pequena comissão, justamente para evitar personalismos e não escolher por ser amigo ou algo parecido.

      2 – Quais os critérios para fazer palestra na FEP?
      Resposta: Conhecimento doutrinário, capacidade didática para transmitir este conteúdo e, de preferência, ter feito o curso de oratória. A palestrante em questão atende estes critérios.

      3 – Temos um plano B?
      Resposta: Sim, sempre temos um palestrante substituto “a postos” para o caso de o palestrante do dia faltar.

      Entendemos que não é qualidade de todos serem bons oradores e não cometerem deslizes no português, mas não consideramos que o conteúdo que a nossa irmã vem transmitindo nas palestras esteja sendo comprometido por falhas no português, cremos que é totalmente possível compreender a mensagem e entendemos que o conteúdo é mais importante, apesar de que a forma também o é.

      Todavia, aceitamos e entendemos seu comentário e ratificamos a ideia de que todos nós, todos, podemos buscar, nestes momentos, a caridade para com quem, com muita boa vontade, se coloca a estudar e levar a mensagem do mestre Jesus na tribuna da FEP ou de qualquer outra instituição religiosa.

      Pedimos desculpas se os erros de português, que ocorrem na palestra, na direção e nas preces lhe tocam de forma tão desagradável a ponto de fazê-la não ficar. No entanto, não podemos alijar irmãos e irmãs trabalhadores de boa vontade se o que por eles colocado é para a divulgação correta da Doutrina Espírita.

      Pedimos que nos ajude informando se há problemas de conteúdo doutrinário, ou mesmo de falhas como o palestrante não ter contemplado o tema, não ter trazido Jesus e Kardec ou ainda ter deixado de consolar e esclarecer, que são pilares de uma palestra espírita. Caso isto seja percebido, por favor, nos informe e nestes casos conversaremos fraternalmente com o palestrante para que não ocorra novamente.

      Por isso a importância de acompanhar a palestra, mesmo quando a forma (dicção, postura da voz, português precioso etc.) para dar sua contribuição quanto ao conteúdo.

      Agradecemos e pedimos que compreenda nossa posição.

      Abraço fraterno

      DECOM – FEP

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *